terça-feira, 7 de julho de 2015

Pedro!

Há sete anos você nascia.
E nasceu em mim a doce graça de ser tia
Não sua.
Sua Bárbara virou sua amiga, sua coleguinha.
E você fez de mim e dela gato e sapato.
A minha vida se divide em duas:
Quem eu sou e em quem me transformo quando estou contigo.

E como não ser o que você quiser?
Se desperta o que de melhor eu tenho
Meu senso de justiça,
Meus medos
Minha fúria.

Minha meninice,
Minha ingenuidade,
Você me faz esquecer o tempo e a idade.

Você me aproxima do seu mundo
ao mesmo tempo que invade o meu.
Você fez do meu coração sua morada,
E eu sei que tenho espaço reservado no seu.

Seremos amigos,
Cúmplices de jornada.
Seremos parceiros,
Como numa aventura,
Eu e você.
Você e eu!